Criança venezuelana é internada com suspeita de difteria em hospital de Boa Vista – RR

Um menino venezuelano de 10 anos está internado com suspeita de difteria no Hospital da Criança Santo Antônio, em Boa Vista. A prefeitura da capital informou nesta sexta-feira (14) que o paciente apresenta quadro clínico estável.

A difteria é uma doença infecciosa, de transmissão respiratória, que pode ser prevenida pelo uso de vacinas. De acordo com a prefeitura, o último caso de difteria em Roraima foi registrado no ano 2000, em Mucajaí, região Sul, que resultou em uma morte.

Após dar entrada no hospital, no dia 12 de julho, o menino recebeu todo atendimento médico e está isolado devido a doença ser contagiosa.

De acordo com a prefeitura, a criança apresenta suspeita de difteria na forma faringoamigdaliana. Ele veio direto da cidade de Santa Elena, na fronteira com Roraima, direto para a unidade.

“O médico realizou o diagnóstico clínico e a criança foi encaminhada para o isolamento da unidade hospitalar, conforme protocolo do Ministério da Saúde. A criança veio direto de Santa Elena para o Hospital”, informou a nota.

Em entrevista à Rede Amazônica Roraima, o superintendente da Vigilância em Saúde de Boa Vista, Emerson Capistrano, disse que a família do garoto vive em uma região de garimpo na Venezuela conhecido por ‘El Dorado’.

O caso é investigado pela Vigilância Epidemiológica do município. Todas as pessoas que tiveram contato com o paciente estão sendo monitoradas, mas apresentam proteção contra a doença pela vacina.

A previsão é que o soro antidiftérico, enviado foi enviado pelo Instituto Butantã de São Paulo, chegue a Boa Vista na tarde desta sexta.

Prefeitura alerta para atualização de cartão de vacina

Ainda em nota, a Prefeitura disse que diante do quadro atual de ocorrência de casos e óbitos no país vizinho, e da chegada de imigrantes vindos da Venezuela para o Brasil, a Secretaria Municipal de Saúde alerta para que a população mantenha os cartões de vacina atualizados, principalmente das crianças.

As vacinas contra difteria estão disponíveis nas unidades básicas de saúde.

“A Vigilância municipal vem fazendo monitoramento contínuo de casos de doenças circulante na Venezuela desde 2016, quando houve ocorrência da difteria no país”, frisou a prefeitura.

Autor: admin

Compartilhar
468 ad